Fundos de Investimento de Renda Fixa e o Coronavírus

Fundos de Investimento de Renda Fixa e o Coronavírus

Fundos de Investimento de Renda Fixa e o Coronavírus

Atualmente, as opções de fundos de investimento de renda fixa têm causado um grande abalo entre profissionais da área financeira e investidores em todo o mundo. Isso se deve pela inesperada queda de vários títulos de renda fixa, já que estes sempre foram considerados seguros no mercado financeiro.

Se você investe nesses títulos ou está envolvido, de alguma forma, nessa área, provavelmente percebeu a queda acentuada dos últimos meses. Mas, será que você sabe exatamente o motivo dessa variação?

Para entender melhor o que vem acontecendo e descobrir o que fazer para contornar essa situação, continue a leitura e saiba mais.

O que são fundos de investimento de renda fixa

Os fundos de investimento de renda fixa são um instrumento de investimento considerado seguro pelos investidores. Uma de suas características é que ele possui — geralmente — aplicação de, no mínimo, 80% do seu patrimônio em ativos de renda fixa. Ou seja, ativos dos quais se espera auferir uma rentabilidade previamente combinada.

Podemos dizer, de forma bastante simples, que essas aplicações se resumem a títulos como:

  • títulos públicos federais;
  • debêntures;
  • CDB’s;
  • LCI/LCA;
  • Outros.

Sendo assim, as pessoas aplicam dinheiro em um fundo de renda fixa. Esse fundo fica responsável por comprar ativos e que são, na sua maioria, de renda fixa. Como os investimentos são de renda fixa, os investidores acham, muitas vezes, que o fundo não corre o risco de apresentar uma rentabilidade negativa, desvalorizar.

Motivos para a queda de alguns fundos de renda fixa

Investimentos em títulos públicos prefixados ou atrelados à inflação, como o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA+, têm sofrido uma queda considerável desde o início do ano de 2020, mais precisamente desde o mês de fevereiro.

Apesar de serem considerados seguros, o que algumas pessoas não sabem é que esses tipos de investimentos também podem oscilar, acompanhando as flutuações do mercado financeiro. A rentabilidade que um título público entrega, via de regra, é negociada constantemente no mercado. Assim quando o mercado começa a exigir mais rentabilidade por um título — por conta de um percepção de risco maior —, este título se desvaloriza.

Sendo assim, é necessário entender que o investimento que você faz em um título público só renderá a taxa combinada se você aguardar até a data de vencimento do título. Geralmente, o investidor só percebe isso quando decide vender seus títulos antes da data do vencimento.

Um fator bastante atual ao qual podemos atribuir a instabilidade do mercado e a desvalorização dos títulos é a situação de pandemia pelo novo Coronavírus, que o mundo todo atravessa. Afinal, como é possível notar, não é só o mercado financeiro que vem sofrendo as consequências da crise. Entenda, a seguir, algumas particularidades desse cenário.

Coronavírus e os fundos de investimento de renda fixa

Para quem está atento ao mercado financeiro, foi nítida a brusca queda nos preços dos títulos públicos, que coincidiu com o agravamento da COVID-19, em âmbito mundial. Ao surgirem focos mais intensos na Itália e em outros países, como Irã e Coreia do Sul, por exemplo, logo foi perceptível o reflexo da pandemia em quase todos os setores do mercado.

Esse quadro é comum de ser notado em meio a crises e, mesmo os ativos de menor risco, acabam ficando passíveis de sofrerem as consequências. Obviamente, os impactos estão sendo bastante negativos em várias esferas da sociedade. Porém, se entendermos a pandemia como algo passageiro, proporcionamos uma certa esperança para aqueles que estão mais receosos com o futuro de seus investimentos.

Se esse é o seu caso, entenda mais sobre como a pandemia pode estar afetando as taxas de juros.

Relação entre juros altos e pandemia

A expectativa é que, alcançando um controle sobre a doença, a economia seja capaz de retomar, pelo menos, parcialmente, seu ritmo de atividade. Assim, espera-se que os preços de vários investimentos voltem a ter melhores perspectivas. Até lá, não há realmente como saber ao certo qual será o nível dos danos causados. E é exatamente isso que acaba afetando as taxas de juros futuros, bem como os preços dos títulos de renda fixa.

Se você tem a intenção de investir ou está buscando se informar melhor sobre a dinâmica dos títulos de renda fixa, é importante entender qual é a relação entre seus preços e os juros futuros. De forma resumida, podemos afirmar o seguinte sobre títulos prefixados e atrelados à inflação:

  • Percepção de risco maior > juros futuros mais altos > taxas dos papéis mais altas > preços mais baixos.

Ao compreender essa correlação, já fica um pouco mais fácil analisar todo o cenário, antes de tomar qualquer decisão, no intuito de amenizar os impactos da crise.

O que fazer para contornar a crise

Se você já investe em fundos de investimento de renda fixa

Se já você possui títulos de renda fixa ou investe em fundos de investimento de renda fixa, é comum que a incerteza do momento acabe gerando muitas dúvidas sobre o que fazer com suas aplicações. Porém, em tempos de instabilidade, é importante não tomarmos atitudes precipitadas.

Sendo assim, se ao fazer a aplicação em algum desses fundos, você havia se planejado para mantê-lo por um período maior, uma possibilidade é seguir firme nos seus planos e aguardar a pandemia passar. Afinal, tomar decisões em momentos de pânico não costuma trazer bons resultados.

Manter seus títulos públicos até o vencimento, a fim de obter a rentabilidade contratada, é uma alternativa que precisa ser cogitada.

Outra opção é saber como montar uma carteira de investimentos balaceada, adequando-a à situação atual. Para chegar a esse novo equilíbrio, de forma eficiente, é importante se atentar ao seu tipo de investidor.

Para qualquer investidor

Há algumas recomendações para tempos incertos, como as crises, por exemplo, que servem para qualquer tipo de investidor. Uma das principais é ter sempre uma quantia investida em um ativo líquido e seguro, como o Tesouro Selic, por exemplo, para servir como reserva nos casos de emergência.

Nesse caso, é importante ressaltar que a rentabilidade não é o objetivo da aplicação, mas sim aliar a segurança com a possibilidade de se ter o valor disponível o mais breve possível, quando for necessário.

Recomendações dos profissionais do mercado financeiro

Com todos os contratempos gerados, devido à pandemia pelo Coronavírus, fica nítida a relevância de refletirmos sobre o nosso patrimônio e entendermos cada vez mais sobre como devemos investi-lo.

Obter informações sobre o mercado é um ótimo começo e pode trazer grandes benefícios para quem já é investidor ou está avaliando a possibilidade de entrar para esse mercado.

Sendo assim, é importante buscar informações de confiança e se preparar para esse desafio. Uma sugestão é contar com a orientação de profissionais especializados na área, que podem ensinar seus segredos, afim de que você aprenda como fazer bons investimentos e se torne também um expert no assunto.

Considere fazer sua inscrição em um bom curso de investimentos e descubra como esse aprendizado pode ser fundamental para o seu sucesso financeiro como um todo, não só com um fundo de investimento de renda fixa!

Está atento ao mercado financeiro? Então, aproveite para saber mais sobre o índice beta e o sucesso da carteira de ações.